quarta-feira, 13 de julho de 2011

Operação da Polícia Civil é desencadeada em Campos e região na manhã desta quarta-feira 13/07, a mando da Chefe da Polícia Civil, Delegada Martha Rocha.



Foto Presos e a Operação Caçador. - Rone Pereira.
A Polícia Civil deu início nesta quarta-feira (13/07), à Operação Caçador, com o objetivo de cumprir todos os mandados de prisão que estão nos acervos das delegacias da 4ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (CRPI), responsável por cinco delegacias da região, 134ª (Centro/Campos), 146ª (Guarus/Campos), 145ª (São João da Barra), 147ª (São Francisco do Itabapoana) e 141ª (São Fidélis).

De acordo com o Coordenador Regional, Antônio Carlos de Carvalho, a operação, que deverá ser periódica e foi uma das demandas da visita da chefe da polícia Civil, Martha Rocha, em sua visita à Campos, no dia 27 de junho deste ano, se destina a cumprir todos os mandados pendentes, independentes dos casos.

Fotos da Operação Caçador - Rone Pereira
“Vamos analisar o que foi feito hoje e dar seqüência ao trabalho. Se puder, vamos cumprir todos os mandados. Não vai parar enquanto não esgotar,” disse Delegado António Carlos.

Até as 10h40 da manhã desta quarta, foram cumpridos seis mandados em Campos, quatro deles na área da 146ª (Guarus) e dois na área da 134ª Centro.


Ainda de acordo com Antônio Carlos, como os casos são distintos, como homicídios, furtos, tráfico, assalto, estelionato, etc., as pessoas serão recolhidas aos cárceres, onde ficarão à disposição da justiça.

A operação vai continuar até que não haja mais mandados á serem cumpridos.

A informações de que 7 pessoas foram presas na área da 146ª Dp/Guarus, onde existe mais de 50 mandados a serem cumpridos, onde por conta de diversos tipos de crimes.

Foto Material Piratas Apreendidos - Rone Pereira
Já na área da 134ª Dp/Centro, 4 pessoas estariam presas, entre elas duas em flagrantes por comercialização de produtos piratas na área central da cidade.

A meta é colocar as investigações pendentes em dia, já que existia uma grande morosidade nas investigações.


fonte: ururau/Redação

Nenhum comentário:

Postar um comentário