sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Fim dos Batalhões. Batalhão da Tijuca Será o Primeiro á Ser Reformulado.

Divulgação
O quartel da Polícia Millitar (PM) da Tijuca (6º BPM), na Zona Norte do Rio, será o primeiro do Estado a ser remodelado. O projeto vem sendo desenvolvido pela Secretaria da Casa Civil, em conjunto com a Secretaria de Segurança e o comando da Polícia Militar.

O objetivo é reformar as instalações da corporação a partir da revisão do conceito de aquartelamento. As informações foram divulgadas neste sábado (29) no site do governo do estado do Rio.


O governador Sérgio Cabral já havia falado sobre o novo formato na última quinta-feira (27), durante a formatura de novos policiais militares, em Sulacap, na Zona Oeste.

Cabral afirmou na ocasião que a medida vai permitir que os policiais fiquem mais nas ruas, atuando no policiamento ostensivo, e menos nos batalhões, em atividades administrativas.


No lugar de grandes batalhões com centenas de policiais, serão criadas companhias espalhadas pelos bairros, num formato muito semelhante ao das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs).

O batalhão na Tijuca foi escolhido por causa do sucesso da implantação das UPPs do Andaraí, Borel, Formiga, Macacos, Salgueiro e Turano, informou o governo.


O atual prédio do 6º Batalhão será demolido e em seu lugar será construída uma unidade administrativa, com previsão de área de lazer e esportes, aberta ao público.

A exemplo das UPPs, os novos postos serão construídos em módulos de alvenaria com estrutura metálica, com até dois andares e 300m², e serão comandados por um capitão.


O novo conceito da PM deve atingir todos os batalhões da corporação até 2014. Depois da Tijuca as unidades seguintes serão o Quartel Central da corporação, no Centro do Rio, e o Batalhão de Botafogo, na Zona Sul. Apenas os Batalhões de Choque e Operações Especiais (Bope) manterão o formato atual.


A idéia da transição dos quartéis da PM partiu do chefe do Estado-Maior Administrativo da PM, coronel Robson Rodrigues, que esteve no comando das UPPs por mais de um ano.


"Vamos realizar uma grande mudança e levar o estilo das UPPs para os bairros, usando toda a experiência adquirida com a implantação da polícia pacificadora nas comunidades. Nosso objetivo é o de aproximar a polícia da sociedade, saindo do atual modelo de polícia colonial, que gera medo e distanciamento", disse ele, de acordo com o site.


UPP na Mangueira.


Também na quinta-feira (27), o governador informou que começa no dia 3 de novembro a instalação da 18ª Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), na Mangueira, na Zona Norte. Na sexta-feira passada (21), o secretário de Segurança Pública do Rio, José Mariano Beltrame, já havia informado que a instalação da UPP na Mangueira aconteceria em aproximadamente duas semanas.


Três bases, onde vão funcionar a UPP, já estão quase prontas, faltando apenas montar o mobiliário e instalar os equipamentos da polícia. Segundo Beltrame, a UPP da Mangueira terá 403 policiais nas bases do Parque Candelária, Caixa D Água e Tuiuti.


Com a instalação de uma UPP na Mangueira, se fecha o cinturão de segurança do Maciço da Tijuca, que compreende também as comunidades dos morros do Turano, Salgueiro, Formiga, Andaraí, Borel, Macacos e São João. Todas são próximas ao Maracanã e Maracanãzinho, dois dos principais equipamentos esportivos da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016.

Nenhum comentário:

Postar um comentário